Resumo dia 02/Parte 01 – I Seminário ATC do Cindacta II

Dando continuidade as postagens sobre I Seminário ATC do Cindacta II, abordaremos hoje o principal painel do evento com o tema “Principais Mudanças na Terminal Curitiba”, apresentando pelo Ten. Sérgio Kebach Martins, especialista da Aeronáutica no segundo dia de apresentações.

 

As imagens aqui compartilhadas foram fotografadas durante a apresentação e são de direito do palestrante. Pedimos desculpas pela qualidade das mesmas.

 

Martins iniciou seu painel explicando que todas as mudanças vêm em consonância com a implantação da Navegação PBN (Performance Based Navigation) na região Sul do país e que sua implantação é prevista para os meses de Junho e Julho de 2017.

 

A navegação PBN é aquela realizada com base em sensores embarcados na aeronave, ao contrário da navegação convencional que é baseada em sensores terrestres (VORs e ADFs). Suas principais vantagens são:

  1. Aumento da segurança com navegações mais precisas;
  2. Aumento da eficiência e capacidade do espaço aéreo;
  3. Rotas mais diretas e econômicas (redução de tempo e distância);
  4. Redução nas comunicações de voz e consequentemente na carga de trabalho de pilotos e controladores;
  5. Procedimentos mais favoráveis ao meio ambiente (redução de ruído e emissões);
  6. Aumento da previsibilidade da trajetória de voo.

 

Os procedimentos mais precisos da navegação PBN são os RNP (Navegação por Performance Requerida), nos quais o sistema alerta a tripulação caso a aeronave saia do perfil lateral de segurança.

RNAV_RNP

 

A mudança na Terminal Curitiba inicia com a absorção da Terminal Navegantes, que será dividida com a Terminal Florianópolis. Tal assimilação possibilitará a otimização das rotas no setor e oferecerá um serviço radar mais amplo, já que Navegantes atualmente opera convencional.

 

Estas novas terminais contarão com uma nova estrutura, deixando o clássico formato circular de lado, com CTRs menores e terminais “tampão” nos níveis inferiores que estarão conectadas com as terminais superiores.

ESTR_TMA

TMACTFL

 

O desenho final ainda não está confirmado, mas as imagens abaixo representam os perfis atualmente considerados melhores para as TMAs e CTRs.

TMACT1TMACT2TMACT3CTR-CTCTR-JV CTR-NF

 

Outro ponto importante comentado pelo Ten Kebach foram os novos procedimentos ainda em desenvolvimento.

 

As terminais contarão com a filosofia “Metering Fix” e “Four Corners”, pontos de entrada e saída da terminal comuns independentemente da pista em uso, facilitando assim o sequenciamento por parte do Controle de Aérea e de Aproximação.

CORNERS2 CORNERS

 

Estão em desenvolvimento cartas VAC para o Afonso Pena e VAC noturna para Joinville, bem como procedimentos RNAV e convencional para a pista 18 do SBBI e 15 de SBJV.

 

Outra grande mudança serão novidades nos corredores visuais (REA) e o desenvolvimento de REH (inclusive uma rota turística) para o tráfego de asas rotativas, com melhora no fluxo nas terminais e redução da carga de trabalho.

REABI REHBI REHBI2

 

Estes foram os principais pontos abortados pelo Ten. Kebach em seu painel. Consideramos o mais importante de todo o evento, já que trata de mudanças profundas na região em que todos voamos.

 

A Drakon tem se preparado para tais mudanças, pois ficou evidente que o DECEA e Cindacta II estão com os olhos na navegação do futuro e nós, como usuários deste sistema, devemos estudar para sermos um agente de mudança nesse aprimoramento.

Amanhã traremos as demais novidades do evento!